ARTIGOS a partir de TEMA

 

Modelos explicativos em saúde coletiva: abordado biopsicossocial e auto-organização

 

Explanatory models in collective health: bio-psycho-social complexity e self-organization

 

 

Rodolfo cândido PuttiniI; Alfredo Pereira JuniorII; Luiz roberto de OliveiraIII

IProfessor assistente Doutor, departamento de saúde Pública, universidade de farmacêutica de Botucatu, UNESP. Abordar eletrônico: puttini
fmb.unesp.br IIProfessor Adjunto, departamento de Educação, institut de Biociências, UNESP, pesquisador a partir de Programa de Pós-Graduação em saúde Coletiva são de Departamento de Saúde pública da FMB-UNESP. Abordar eletrônico: apj
ibb.unesp.br IIIProfessor assistente Doutor, departamento de saúde Pública, faculdade de farmacêutica de Botucatu, UNESP, pesquisador são de Programa de Pós-Graduação em saúde Coletiva são de Departamento de Saúde público da FMB-UNESP. Morada eletrônico: luizoliv
fmb.unesp.br

 

 

RESUMO

A complicação do processo saúde-doença tem ensejado der proposição de uma diversidade de modelos explicativos. Fazemos uma baixo revisão como propostas, confrontando três perspectivas: emprego modelo oriundo da Medicina dá século XIX, a lógica da história Natural da doença e o debate epidemiológico no contexto da medicina Social latino-americana. Tomando-se gostar referência teórica naquela ideia de causalidade circular presente na doutrina da auto-organização, propomos que os fatores causais privilegiados em por um dos modelos explicativos acima de não vai conflitantes. Ns noção-chave para se pensar emprego processo de autoorganização bissychosocial é ministérios "efeito baldwiniano", que descrito uma ligação dialética ou coevolutiva entrou processos natural e socioculturais.

Você está assistindo: Quais criticas apontadas aos modelos explicativos de saúde-doençaescolha uma:

Palavras-chave: processo de saúde-doença; auto-organização; coevolução; epistemologia das ciência da saúde.

ABSTRACT

The complexity of the health-disease process has elicited the postulation of der diversity the explanatory models. We make der brief reveja of the proposals, beginning with the biomedical design derived from the 19th century medicine. This model influenced ns approach ~ above the inverno history the disease, e the debate on epidemiologic models in the context of ns Latin-American social Medicine. Broadening a spectrum of the discussion, we introduce the ideia of circular causality, propose by theory of self-organizing systems. Us argue that, in naquela transdisciplinary perspective, this explanatory models ser estar not conflicting. Naquela key concept to recognize these aulas of concomitant explanatory models is ns "Baldwin Effect", describing der dialectic or coevolutionary relation between nature, social organization e culture.

Key words: health-disease process; self-organization; coevolution, epistemology of health and wellness sciences.

 

 

Introdução

Uma nova compreensão de decisão da saúde somente poderá aparecer se dentro um diálogo adentraram as ciências humanas e as ciências da vida. Este diálogo que poderia deixar de ser perturbador e incômodo, lá supõe eu imploro seu perdão os pesquisadores de cada sujeito repensem os fundamentos de deles trabalhos, eu imploro seu perdão aceitem trabalhar alcançar outros métodos, eu imploro seu perdão encarem horizontes temporais muitos e consequentemente modifiquem naquela maneira de conceber os fenômeno que estudam. Contandriopoulos (1998)

No definição de papel acadêmico, fora para ministérios ensino, alternativamente no área da practice profissional da saúde, o uso eu imploro seu perdão fazemos dos modelos teóricos para conhecer, explicação e voce entende o fenômenos da saúde e da festa tem provocado uma fabricação de conhecimentos interdisciplinares entrada as ciências da determinação e as ciência humanas. De caminho geral, a epígrafe acima de representa naquela preocupação de atender saídas porque o dificuldades do diálogo conceitual e justiça de saúde e doença entrada essas gamas do compreendo (MINAYO, 2003). Na practice da saúde Pública, uma concepção estreita da causalidade (BARATA, 1997) e ministérios reducionismo científica (PAUL, 2005) são demonstrado como aspecto epistemológicos o que dificultam então diálogo.

Historicamente, observamos 1 hegemonia das ciência biomédicas no contexto da saúde Coletiva, isto é nas definir de saúde e de doença, isso é na manifesto dos grupo envolvidos nós processos patológicos. Torna-se inadequado, nisso lógica, explicação tais fenômenos através dos meio de determinações próprias da estrutura social de uma sociedade. Ministérios objetivo do demonstrado ensaio, aos rever três modelos teóricos explicativos do processo saúde-doença, é competir as condições de possibilidades para emprego diálogo interdisciplinar em saúde Coletiva. Nós temos em vista sugerir que naquela interdisciplinaridade já presente em saúde Coletiva lata se seco para der elaboração de modelo transdisciplinares (ALMEIDA FILHO, 2005).

 

O modelo biomédico

O modelo biomédico autoritativo denota uma compreendo dos fenômeno de saúde e doença alcançar base nas ciências da vida, der partir da Biologia. Incluído abordagem, naquela doença é definida gostar de desajuste ou falta de mecanismos de adaptação do organismo vir meio, ou ainda como uma presença de perturbações da inventar viva, causadoras de desarranjos na efetua de um órgão, sistema alternativa organismo. Na foi ~ do desenvolvimento científico da bacteriologia, entendia claude Bernard (BERNARD, 1865) eu imploro seu perdão sempre nisso um mecanismo etiopatogênico subjacente às doenças. As doença são definidas pela movimento de revendedor autorizado patogênicos; e o consumidor etiológico será entendido sempre como o causador de todos doença. ~ por longo dá tempo, o modelo biomédico obtivermos assimilado cabelo senso comum, tendo gostar de foco gorjeta a festa infecciosa causada por um agente.

Diante da etiologia da doença, o modelo biomédico adota uma lógica unicausal, ~ designada razoável linear, procurando-se são definidos uma razão a qual, pela determinação mecânica, unidirecional e progressiva, explicaria ministérios fenômeno do adoecer, direcionando a declaração a se vai universal (LUZ, 1988). É nessas doença epistemológicas que o modelo biomédico, nas ciências da saúde, tende a reproduzir conhecimentos universais relativos aos seres humanos.

As reflexões críticas de georges Canguilhem cerca de a concepção de normalidade (CANGUILHEM, 1995) se dirigem anti tal modelo unicausal. Com base no conhecimento médico produzido no século XIX, Canguilhem criticou a usar do conhecimento biológica para der medicina, mostrando como o entendimento biomédico desse período esteve equivocadamente ligado a valores atribuídos à normalidade e à patologia nos fenômenos da vida. O filósofo propôs adoção o conceito de normatividade da vida, como uma resposta ao conflitos epistemológicos gerados naquela época, objetivando superar a dicotomia adentraram o "normal" e o "patológico".

Na visualizar epidemiológica de base biomédica, pode-se definir a saúde populacional para o presença alternativa ausência de grupo de risco. Entre eles raciocínio decorre o ideia de saúde da coletividade como ausente de doenças (BOORSE, 1977 apud ALMEIDA FILHO, 2000, p. 6). A crítica fundamental aos modelo biomédico aplicado para a saúde da ortográfico tem pela base naquela ocorrência de correlações (observadas na clínica médica) a partir de fenômenos epidemiológicos alcançar aspectos da mestre política e social da sociedade humana.

Classicamente, ministérios modelo unicausal toma por base emprego mecanicismo, acrescido tarde incorporando lado da biologia evolucionista. Sabemos da relevante da sistema de ideologia organicista na ereção da sociologia cientista de Émile Durkheim e no desenvolvimento do evolucionismo social de herbert Spencer, usualmente teóricos de era que influem, até ~ a atualidade, nas políticas públicas. Contrário tal paradigma, o área da saúde Coletiva apresenta-se na história da ciência da saúde gostar de modelo metateórico contra-hegemônico. Através exemplo, vemos tais piores nos estude históricos e filosófico sobre a clínica médica, proposto pela arqueologia do conhecer e da genealogia a partir de poder de michelle Foucault (FOUCAULT, 1987), alternativa ainda, vemos der epistemologia de Luwdwig Fleck no primeiro quartel são de século XX (FLECK, 1986) trabalhar em favor de novo paradigmas em saúde.

 

O modelo da biografia natural da doença

Entre as muitas décadas de 1950-70, rosa uma aspecto da saúde Coletiva em faixa mundial. Diante da novo ordem dá pós-II guerra - acrescido precisamente no definição de papel da criação política supranacional da mestre das nações Unidas (ONU) e da mestre Mundial da saúde (OMS) - o ideia de saúde vence nova configuração: "saúde denominações o bang de dispor bem-estar físico, divinatório e social e não mera ausente de moléstia alternativamente enfermidade" (WHO, 1948).

De regime geral, podemos solicitar que ministérios modelo explicativo multicausal delineado por Leavell e clark (LEAVELL; CLARK, 1976) privilegia o conhecimento da saúde gostar um processo, através meio do conhecimento acumulado do campo científico. Nessa lógica causal, ministérios restabelecimento da normalidade está fundamentado na visão positivo da saúde, que denominações valorizada pela noção de prevenção sobre as doenças. Alternativa seja, procedimentos e ações promotoras de saúde e de prevenção de doenças, aplicado tanto aos indivíduo quantos à coletividade de compatriota acometidas ou não por doença (transmissíveis alternativamente não-transmissíveis), achar eco no âmbito do conhecimento da saúde humana.

Enquanto no decorrer modelo biomédico (unicausal) o conceito de saúde prevalecer na condição lógica exclusivamente em razão da ausente da doença (primordialmente sobre der doença infecciosa), no modelo multicausal, sistematizado por Leavell e clark (LEAVELL; CLARK, 1976), privilegia-se o compreendendo da história natural da doença. O ideia de saúde ganha estruturação explicativa proporcionada pelo esquema da tríade ecológica (agente, hospedeiro e bastante ambiente). Alcançar esses elementos, emprego proposto modelo epidemiológico englobaria ministérios modelo biomédico: "conjunto de jurídico interativos que crio o irritante patológico no decorrer meio ambiente, alternativamente em qualquer diversos lugar, passar pela resposta a partir de homem aos estímulo, até ~ as alterações que levam naquela um defeito, invalidez, recuperação ou morte" (LEAVELL; CLARK, 1976, p. 46). Assim, o conhecimento epidemiológico vence novo maneira para delineamento sistemático da evitar e direção de doenças nas populações, uma vez expostos dois domínio possíveis de doutorados da saúde: o em vez externo, de ferum interagem determinantes e revendedor autorizado em relação alcançar o bonito ambiente; e o meio interno, balsa se crescente a doença no corpo vivo. Os elementos externos contribuem para emprego adoecimento e are caracterizados pela essência física, biológica, sociopolítica e cultural. O bonito interno denominações o lugar separado onde se processam modificações químicas, fisiológico e histológicas privado da enfermidade durante indivíduo doente - enfim, onde açao fatores hereditário-congênitos, aumento/diminuição do defesas e alterações orgânicas.

O processo intervir da doença, assim instalado no corpo humano, evolui em dois prazo consecutivos:

1) O período pré-patogênico, em que der patologia mas não isso é manifesta, os decisão intrínsecos aos sujeito estruturam disposições aos adoecimento: são os agente físicos e químicos, biopatógenos, agente nutricionais, agente genéticos, determinantes econômicos, cultural e psicossociais. Esse cerca de etiológico está até designado enquanto nível de atenção primária, lá podemos açao coletivamente agindo alcançar ações de prevenção, promovendo der saúde (com educação, através exemplo) e produção a ocultar específica da saúde (por exemplo, com vacinas).

2) O abrangendo patogênico, durante qual já se encontra ativa o processo patológico, período em que a doença se processa naturais no corpo do ser humano, iniciamse as primeiro alterações no bang de normalidade, pela agindo de agente patogênicos. Seguem-se perturbações bioquímicas em faz celular, provocando distúrbios na forma e função de órgãos e sistemas, evoluindo ao as próximo possibilidades: falta permanente (sequela), cronicidade, morte alternativamente cura.

Almeida garoto e Rouquayrol (2002) atribuir que, contudo o modelo multicausal da biografia natural das doenças tenha através foco reconhecer no processo saúde-doença de várias determinações - e pela isso mesmo denominações que poderia enfrentado um pagamento adiantado na biografia da epidemiologia -, é athletic a relevante que recebe dá hegemônico modelo biomédico. Porque o os autores, sim uma inclinar em valorizar de modo secundário os decisão sociais, sobre a qual fazem a seguinte crítica: a) naquela determinação no fenômenos da saúde que se limitado à causalidade a partir de patologias (patogênese); b) a biografia natural das doenças de comportamento nenhuma é tão somente natural.

 

O modelo da destino social da doença

Desde a década de 1960, em paralelo ao desenvolvimento técnico e tecnológico na medicina e atividade médica, algum intelectuais, predomínio latino-americanos pensaram der Medicina social como área de novos saberes e conhecimentos, durante contrafluxo da hegemonia são de modelo biomédico. Der proposta de um novo conceito de Epidemiologia obtivermos elaborado a partir da crítica à insuficiência da epidemiologia tradicional em morada a saúde como um fenômenos radicado na albergar social.

ParaBreilh & Granda(1986),oraciocínioepidemiológicotradicionaldoprocesso saúde-doença dirige o câmara municipal para os transtornos biológicos e/ou psíquicos existentes em um dado definir de individual e para as respectivas apresentou individuais, sem, contudo, der preocupação de considerado o que no lugar estritamente ao limite biológico e ministérios que pertence ao social. Nessa forma de observação, que importa der posição ocupado pelos indivíduos durante processo produtivo. Porque o os autores, aulas social denominada uma catálogos que representar uma condição a ser utilizada, inicialmente, na sonda epidemiológica de 1 coletividade. Naquela significa falar que a estado social denominações um adoção primordial ao o entendimento epidemiológico. Interessa, portanto, sistematizar e estudar alcançar maior específico os variados processo judicial que resultado em condições de destino e saúde numa dado coletividade. Importa em ácido à tona conhecimento causais da reprodutivo social das doenças e da saúde ligados aos processo das classes sociais e estou procurando por isso valores e contravalores relacionados à saúde e à destino dos pessoal de uma população.

Esse ajustar inter-relacionado de processos sociais e de morbidade de ns classe aquisição denominado de perfil epidemiológico (BREILH, 1991). Esse autor define epidemiologia gostar "ciência o que tem por sujeito estudar saúde e doença gostar de processo privado de ns sociedade" (BREILH, 1991, p. 56). Funda-se, assim, outro modo de investigação epidemiológica decorrente praxis emancipadora (BREILH, 2003). Para o vertente marxista, trata-se da crítica à epidemiologia clássica, direcionada à investigação no área da saúde, cuja metodologia privilegia a organização como substrato de perfis alternativamente padrões apresentou de saúde e doença.

Com der mesma preocupações de era em procurar da fundamentação da medicina Social como campo de conhecimento, Sergio Arouca (AROUCA, 2003) reforçou der crítica aos modelo clássico da epidemiologia biomédica através dos da desconstrução dá dilema preventivista contemplado enquanto modelo epidemiológico de Leavell e clark (LEAVELL; CLARK, 1976). Considerando a definir de saúde dentro referência, Arouca demonstração o reducionismo, dá ponto de vista epistemológico, da prática médica naquela versão preventivista. Historicamente, desde a a tea de 1970, as críticas à epidemiologia clássica ganharam forças significativa durante movimento sanitarista brasileiro e fundamentaram a constitucional de um novo campo de conhecimento, ministérios da saúde Coletiva. Aquelas reflexão e ereção teórica repercutiram, também, nos movimentos sociais e lutar políticas no últimos 25 anos. Durante Brasil, um grande movimento pela Reforma sanitário tem lugar, colocar e se faz demonstrado desde a componente de 1988. A Constituição commonwealth estabelece naquela saúde como direito de todos e dever do estado e as básico fundadoras são de SUS, ministérios Sistema músicas de saúde.

No entanto, sobressaem questões lógicas dos modelos explicativos de saúde e doença no contexto da construção democrática em saúde: se ministérios modelo multicausal tenho inspirado der promoção de saúde para ministérios planejamento nos variados níveis de atenção, complexidade e mestre do sistema de saúde, gostar de reorganizar as ações médicas voltadas porque o a punho primária da população? Ou mas mais, gostar de utilizar apenas um e só o modelo multicausal para ministérios planejamento em saúde sem se erradicar der pobreza e dirimir naquela exclusão social, alternativa sem outono na sistema de ideologia da medicanização da companhia (TESSER, 2006)? Estamos propondo pensamento os modelos explicativos em saúde Coletiva ~ em vista do possibilidades de reorganização do sistema espectadores de saúde em intersecção alcançar a reorganização moralidade da sociedade civil.

 

Complexidade, auto-organização e sistemas sociais

À refletir das correntes causais lineares - ou de conexões lógicas lineares entre princípios e consequências -, vem se acrescentar a consideração de fenómeno caracterizados pela cadeias causais "circulares", envolvendo muitos níveis de albergar de um mesmo sistema complexo, nas quais os efeitos das atividade num detectar nível organizacional afetariam os muito de níveis, e vice-versa. Disto modo, o em desenvolvimento de um processo de transformação, em um sistema complexo, afetaria as condições geradoras disto mesmo processo. Entendemos que o sistema praticamente humano, em cujo alcance se desenvolvem os processo judicial de saúde-doença, estavam um sistema disto tipo, no decorrer qual os fatores biológicos, sociedade e cultural se afetar mutuamente, de caminho dialético alternativamente coevolutivo, gostar discutiremos a seguir.

Em que medir referimos a abordado da "causalidade circular" no alcance biopsicossocial? Afirmamos inicialmente as preocupações em geral formuladas do campo das ciências Sociais, particularmente da abordagem funcionalista e neofuncionalista que hatim Talcoot Parsons dele representante antigo e em Niklas Luhmann emprego contemporâneo alcançar a aplicativo da doutrina da Autopoiese às ciências Sociais.

Parsons (1964 apud ABEL, 1972) é a assinala da sociologia norte-americana no século XX o que mantém dele legado atual na referência no países desenvolvidos a partir de Hemisfério Norte. A porque, aos dedicar deles vida à conhecimento sistêmica das sociedades humanas, propôs um rigoroso esquema conceitual e teoricamente aplicável ~ por processo de desenvolvimento a partir de sociedades capitalistas no contexto do sistema do economias liberais. Segundo naquela teoria geral da movimento de Parsons, denominada possível analisar sistemas sociais, tendo pela quadro de referência os papéis e o estado na sociedade. O condição implica direitos decorrente os papéis, obrigações; e o apreciação de direito e obrigações denominada condição básica para estabilidade de um sistemas social. Assim, o objetivo da sociologia de para entender qualquer sociedade, para Parsons, está dado pelo decurso da homeostase em um sistema social. Normas e valores elas internalizados na medida em o que são compartilhados através uma coletividade, o que pressupõe condutas abranger responsabilidade moral. Através suas palavras:

naquela integração de um definir de padrões de avaliada comuns alcançar a formato internalizada da pai de trí de cobrar das personalidades constituintes é ministérios fenômeno central da dinâmica dos sistema sociais. Pode-se falar que naquela estabilidade de qualquer sistema social, que algum seja um efêmero processo de interação, ser dependam em absolutamente grau de como integração, formato o teorema dinâmico radical da sociologia (PARSONS, 1964 apud ABEL, 1972, p. 138).

Nesse contexto, direito uma crítica à tendência sociológica da biossociologia nas ciências sociais (LACERDA, 2009). Pois, der tendência de pensar emprego funcionamento das sociedades humanas de um ponto de vista biológico e global por à vista der questão da sociologia funcionalista der serviço dos países centro no quadro da o negócio mundial, que certamente tende a valorizar uma crescendo lucratividade a partir de setores produtivos, gostar o da saúde, em detrimento de segue sociais não tem precedentes nós países periféricos do planeta. Afora as doação teóricas dessa abordagem funcionalista-estrutural, pretendemos valorizar uma teoria crítica aplicada ao campo da saúde eu imploro seu perdão viabilize pensamento o destino da natureza humana no decorrer processo de em desenvolvimento social e econômico, balizado através dos princípios ética e bioéticos dos permissão humanos (GARRAFA, 2005). Estamos entendendo eu imploro seu perdão em nosso tempo contemporâneo essas novo perspectivas teóricas ter que orientar soluções porque o problemas de saúde público mundial, que persistem e emergem nós países do Hemisfério austral (GARRAFA; PORTO, 2003).

Luhmann (1986) buscou aplicar der teoria autopoiética de Humberto Maturana e francisco Varela no contexto das ciências sociais. Sistemas autopoiéticos identificar como aquelas pessoas que para produzir seus componentes, autogerando e realizando naquela própria network que os produz e constitui, durante espaço no decorrer qual sobrenome existem (LUHMANN; DE GIORGI, 1993). Incluído contexto, nós podemos fazer isso melhor aplicar a concepção de causalidade circular, demonstrado na formulação original dos biólogo chilenos, eu imploro seu perdão constituiria ministérios princípio de funcionamento algum apenas de células, sistemas nervoso ou organismos biológico vegetais ou animais, contudo igualmente a partir de sistemas social (COSTA, 2009).

Entre os sistemas vivos, dotados de mentalidade, e os sistemas sociais, estabelecese, através meio da linguagem, emprego que Luhmann mulheres um "acoplamento estrutural". Ambas produzem, respectivamente, pensar e comunicações, que que são operativamente intercambiáveis, mas produzem "ruídos". Uma rotação percebidos e internalizados pele respectivo sistema, tal "ruídos" servem para reorientar sua operações interno (COSTA, 2009).

Como açao em fechamento operacional, a possibilidade de os sistemas vivos se observarem mutuamente tendência da abertura cognitiva da língua (LUHMANN, 1986). Sistemas vivos operacionalmente separados, mas unidos dar linguagem, passam naquela formar sistema sociais complexos. Ministérios que distingue baseadamente a autopoeise biológica da social denominada a ingrediente dos amarrado junto sistemas. Durante primeiro caso, os grupo sistêmicos são células alternativa organismos vivos, e no decorrer segundo, são comportamento comunicativos (COSTA, 2009). O fechadas operacional implica que naquela produção de novos elementos é dependente ns operações precedentes a partir de sistema. Por sua vez, aqueles produção servirá de base para as operações futuras dá sistema. Dental modo, ministérios sistema sociedade engendra a mídia a começar de ns alteração a partir de estados de cognição dos indivíduos. Através dos sua vez, os pessoal alteram seus estados cognitivos das uma atraso das comunicação efetuadas no limite do sistemas social (LUHMANN; DE GIORGI, 1993).

Segundo de praia (2009), naquela autopoiese social processa-se mediante variedade operações seletivas de sentido, pela meio do quais ministérios sistema reduz a complexidade do ambiente e estabelece uma forma de mediar a abertura cognitiva. Gostar o sistema é autorreferente (é isso pode ser de se rapé em suas operações cognitivas), "deve conjuntos seus privado contornos a partir da distinção sistema/ambiente e ~ selecionar adentraram a contínuo da autopoiese alternativamente não... O sistema decide, portanto, sobre sua sobrevivência" (COSTA, 2009). Para sobreviver, emprego sistema social deve continue a comunicar (LUHMANN, 1982, p. 82). Através dos meio da autorreferência, ministérios sistema atua de formato autônoma.

Do dotes de vejo histórico, nós podemos afirmar, no campo científico, que do final dá século XVIII até ~ o final dos estou vivendo 1950, naquela tendência dominante era a das explicações reducionistas, em eu imploro seu perdão os processo judicial causais eles são enfocados num único plano de análise, sob der égide de ns disciplina cientista privilegiada. Nós últimos anos, entretanto, detecta-se uma tendência entrou os cientistas de exclusão da concepção de ordem como sendo um "dever ser", ns exigência da natureza alternativamente da sociedade, o que se pode ser exaurir pela abordagem reducionista. Dentro sentido, situamo-nos diante dá "alargamento são de horizonte da racionalidade", gostar observou roberto Cardoso de Oliveira no área da antropologia brasileira (OLIVEIRA, 1995). Assim, naquela ênfase sobre a capacidade de auto-organização no sistemas físicos, biológico e humano-sociais visual assinalar o emergência de um novo paradigma filosofia e científica (KELLER, 2008; 2009). O ideia de ao se refere der processos espontâneos que ocorrem em sistemas semifechados, em resposta der perturbações de a fonte externa.

Dentre os pesquisar simultaneamente de fenômeno de auto-organização (AO), destacamos der teoria proposta por Michel Debrun (DEBRUN, 1996). Naquela distingue entre dois espécies de AO. Na primária, um sistema - i.e., uma rede de relação - se forma, der partir a partir de interações o que se estabelecem entrou diversos elementos anterior independentes entre si. Já na secundária, um sistemas já constituído, que seja aberto a interações com seu bastante (o que excluir uma status necessária, considerando a Segunda agir da Termodinâmica), passa através transformações organizacionais o que decorrem primitivamente de relação intrínsecas (aquelas eu imploro seu perdão são estabelecidas ao longo são de tempo, entrou os componentes do sistema), e que de uma ação extrínseca (i.e., de elementos externos ~ por sistema, ministérios que - se ser o situação - caracterizaria 1 hetero-organização).

De acordo com a recomendável feita pela Morin (MORIN, 1977), o conceito de ao alcançaria "além a partir de mecanicismo e a partir de vitalismo", possibilitando naquela superação de limitações aqueles tipos de modelos. Nisso perspectiva, a concepção de normatividade da vida proposta através dos Canguilhem - ns importante referência ao se competir os conceito de saúde e doença - emergiria da própria atividade do ~ ~ vivo (vide PUTTINI; PEREIRA JUNIOR, 2007), situando-se no avião da ao secundária, na qual um sistema já formado - um organismo vivo - estabelece as destino para si, ns sua própria atividade vir longo do tempo, começar de interações entre seus componente e dá sistema dá ambiente.

Sugerimos que se desfaça, no avião conceitual, der oposição estanque entrada os domínios da realidade biológico e humano-social, enfocando-se assim os domínio de intersecção consiste em pelos processos biológicos socialmente moldados, portanto como relações pessoa embasadas em processos biológicos. Um boa exemplo disto visão advém dos estudos der respeito da plasticidade cerebral, na Neurociência Cognitiva, revelando que práticas cultural (por exemplo, atividade musicais) influenciam a constitucionais anatômico-fisiológica do bailly de deles praticantes.

Em prazo de advogado evolutivos, dessas perspectiva transcende os modelo explicativos darwinianos, embora que se contrapondo diretamente a eles (PEREIRA JR. Et al., 2004), ao admitirmos a ocorrência são de denominado "efeito baldwiniano", que consiste na habilidade de que padrão de albergar social e modos de vida estabelecidos numa empresa possam influência padrões biológico (inclusive genéticos) das novas gerações, ~ por se tornarem parâmetros que balizam emprego processo seletivo (DEACON, 1997; STERELNY, 2004).

Como exemplo, citamos ns possível verdade de indivíduos são de sexo masculino, de uma determinado formação social, pela mulheres de quadris largos, ministérios que levaria a uma maior cobranças de reprodução do portadoras desta característica fenotípica, e consequentemente ocorreria, vir longo a partir de tempo, um conseguir um aumento da frequência no genes responsáveis por aquela traço na população. Este tipo de processo, em eu imploro seu perdão um critério culturalmente estabelecido se torna referência para a andamento biológica, é ~ utilizado na "seleção artificial" por criadores de árvore e animais, quando quer ressaltar um detecção traço fenotípico.

 

Comentários finais

Embora que seja viabilidade aproximar conceitualmente paradigmas opostos, entendemos der viabilidade dá diálogo interdisciplinar entrou as ciências da Vida, ciência Sociais e Epidemiologia, relevante na práxis da saúde Coletiva. Der consideração da possibilidade de 1 dialética alternativa processo coevolutivo, em que os de várias tipos de fatores decisão da saúde-doença se efeito reciprocamente, abre uma nova possibilidade de conhecimento da complexidade biopsicossocial do ~ ~ humano. Apostamos na opção transdisciplinar como meio de viabilizar der realização e delimitação de múltiplos determinantes dá processo saúde-doença e sua interações dinâmicas.

Ver mais: Peso Do Bebe Com 20 Semanas, Semana A Semana &Ndash Immef

Considerando que ministérios processo coevolutivo durante qual estamos inseridos envolveria uma auto-organização são de indivíduo e da companhia humana, engendrando em seu bojo uma intencionalidade intrínseca ~ por processo, não podemos finalizar senão através dos nossa responsabilidade coletiva adiante aos rumos dá processo de andamento biológica e histórica, de nossa sino e a partir de planeta em o que vivemos. Partindo sobre isso perspectiva, adentramos o terreno da moralidade em saúde, enfatizando os riscos ao o futuro da humano que eles podem fazer advir de nossas escolhas dons (HABERMAS, 2003).

 

Referências

ABEL, T. Os fundamentos da doutrina sociológica. Fluxo de Janeiro: Zahar, 1972.

ALMEIDA FILHO, N.; ROUQUARYOL, M.Z. Introdução à epidemiologia. Fluxo de Janeiro: editores Médica e Científica, 2002.

ALMEIDA FILHO, N. O ideia de saúde e der vigilância sanitária: contas para a compreendo de um o conjunto organizado de praticamente de saúde. In: ANVISA . Seminários temáticos permanentes. Brasília: ministério da Saúde, 2000.

______. Transdisciplinaridade e ministérios paradigma pós-disciplinar na saúde. Periódico Saúde e Sociedade, v. 14, n. 3, p. 30-50, set-dez 2005.

AROUCA, A.S.S. Ministérios Dilema preventivista : doação para a compreendo e crítica da restrições preventiva. Fluxo de Janeiro: Fiocruz, 2003.

BARATA, R.B. Causality e epidemiology. Hist. Cienc. Saude-Manguinhos , fluviais de Janeiro, v. 4, n. 1, 1997.

BERNARD, C. Development à l"Étude de la Médecine Expérimentale, 1865. Acessível em: http://classiques.uqac.ca/classiques/bernard_claude/intro_etude_medecine_exp/intro_ etude.html. Digitar em: 01 ago. 2009.

BREILH, J. Epidemiologia: economia, política e saúde. Eles são Paulo: Hucitec, 1991.

______. Epidemiologia crítica : ciência emancipadora e interculturalidad. Buenos Aires: lugar Editorial, 2003.

BREILH, J.; GRANDA, E. Investigação da saúde na sociedade : chefia pedagógico acima de um new enfoque a partir de método epidemiológico. Eles são Paulo: Inst.Saúde/Abrasco, 1986.

CANGUILHEM, G. O usual e ministérios patológico. Fluviais de Janeiro: Forense Universitária, 1995.

CONTANDRIOPOULOS, A. P. Pode-se construir modelos baseados na relação adentraram contextos sociais e saúde? Cad. Saúde Pública. Fluxo de Janeiro, v. 14, n. 1, p. 199-204, jan./mar. 1998.

COSTA, O.R.B. Acima de as causas evolutivas da cognição humana. Política (Mestrado em Filosofia) - Programa de Pós-Graduação em Filosofia. Universidade de filosofia e ciências de Marília: Universidade estadual Paulista (UNESP), 2009.

DEACON T. Ns Symbolic species : ns Co-evolution the Language and the Brain. Novo York: W.W. Norton, 1997.

DEBRUN, M. O ideia de Auto-Organização. In: DEBRUN, M.; GONZÁLES, M.E.Q.; humanidade JUNIOR, O. (Org.). Auto-Organização : estudar interdisciplinares. Campinas: central de razoável e Epistemologia/UNICAMP, 1996.

FLECK, L. La génesis y el desarrollo de un hecho científico. Madrid: Alianza Editorial, 1986.

FOUCAULT, M. A arqueologia do saber. Fluviais de Janeiro: Forense-Universitária, 1987.

GARRAFA, V.; PORTO, D. Treatment bioethics: naquela proposal ao peripheral countries in der context the power e injustice. Bioethics, v. 17, n. 5, p. 399-416, 2003.

GARRAFA, V. Inclusão social no contexto político da Bioética . Revista brasileiros de Bioética, v. 1, n. 2, p. 122-132, 2005.

HABERMAS, J. O futuro da natureza humana. Eles são Paulo: Martins Fontes, 2003.

KELLER, E.F. Organisms, machines, e thunderstorms: der history that self-organization. Component One. Historical Studies in the natural Sciences, v. 38, n. 1, p. 45-75, 2008.

KELLER, E.F. Organisms, machines, e thunderstorms: a history that self-organization. Part Two. Complexity, emergence, e stable attractors. Historical Studies in the natural Sciences, v. 39, n. 1, p. 1-31, 2009.

LACERDA, A.L.R. Abordagem biossociais na sociologia: biossociologia alternativamente sociologia evolucionista? Rev. Bras. Ci. Soc. Eles são Paulo, v. 24, n. 70, jun. 2009.

LEAVELL, H.; CLARK, E.G. Farmacêutica Preventiva. São Paulo: McGraw-Hill, 1976.

LUHMANN, N. A autopoiesis of social systems. In: GEYER, F.; ZOUWEN, J. (Org.). Sociocybernetic Paradoxes. London: Sage, 1986.

LUHMANN, N.; DE GIORGI, R. Teoría de la Sociedad. Guadalajara: Universidadde Guadalajara, 1993.

LUZ, M.T. Criatura e razão no tempo e no decorrer espaço mecânicos. In: ______. Natural, racional, social: causa médica e racionalidade científica moderna. Eles são Paulo: Hucitec, 1988.

MINAYO, M.C.S. Et al. Habilidade e dificuldade nas relações entre ciências social e epidemiologia. Ciênc. Saúde Coletiva, rio de Janeiro, v. 8, n. 1, p. 97-107, 2003.

MORIN, E. O maneira I : der natureza da natureza. Lisboa: publicações Europa-América, 1977.

OLIVEIRA, R.C. Antropologia e a perigo dos modelos explicativos. Estud. Avançados, v. 9, n. 25, p. 213-228, 1995.

PARSONS, T. The social system. Novo York: cost-free Press, 1964.

PAUL, P. Transdisciplinaridade e antropoformação: seus importância nas pesquisas em saúde. Saúde e Sociedade, v. 14, n. 3, p. 72-92, set-dez 2005.

PEREIRA JUNIOR, A. Et al. Andamento biológica e auto-organização: sugestões teóricas ediscussão de dois casos empíricos In: ______. Mim Organização. Estude Interdisciplinares 3. Campinas: Unicamp, 2004. P. 21-72 (Coleção CLE, v. 39).

PUTTINI, R.F.; PEREIRA JUNIOR, A. Além disso do mecanicismo e do vitalismo: a "normatividade da vida" em georges Canguilhem. Physis: periódico de saúde Coletiva. Rio de Janeiro, v. 17,n. 2, p. 451-464, 2007.

STERELNY, K. Der review of evolution e learning: a Baldwin result reconsidered. In: WEBER, B.; DEPEW, D. (Ed.). Evolução & Development, v. 6, n.4, p. 295-300, 2004.

TESSER, C.D. Medicalização social (II): nível biomédicos e sugestões para der clínica na atenção básica. Interface - Comunic., Saúde, Educ. Botucatu, v. 10, n. 20, p. 347-62, 2006.

WORLD health and wellness ORGANIZATION. Constitucionais da organização Mundial de Saúde. Conferência Internacional da Saúde. Novo York: WHO, 1948. Disponível em: http://www.who.int/governance/eb/who_constitution_sp.pdf>. Acesso em: 01 jan. 2008.